João Brito Sousa Outros Comentários RETORNO
Colocado em
20080614
 

Acerca do Livro "Cartas Poéticas entre Ramos Rosa e Manuel Madeira" 


Viva.

Sinto-me particularmente feliz por ter tido a brilhante ideia de colocar no seu portal, estes poemas lindos, dos poetas Manuel Madeira e Ramos Rosa.

Sabendo eu do grau de exigência que o senhor imprime aos seus trabalhos, fico muito satisfeito que tenha publicado as cartas/poemas de dois poetas, um conhecido e outro amigo, sinal de que reconhece mérito ao trabalho poético.
Com o devido respeito, envio-lhe de seguida o que escrevi sobre as cartas de Manuel Madeira e António Ramos Rosa: "CARTAS POÉTICAS".

O livro "CARTAS POÉTICAS" contém cartas trocadas entre os poetas António Ramos Rosa e Manuel Madeira, um documento de indiscutível valor literário, que tem desde já o seu lugar assegurado no património cultural do País.

As "Cartas Poéticas" contêm em si o vigor de um namorado, a juventude e o sorriso de uma jovem, a vontade de vencer de um atleta da mais alta competição, a frescura e a beleza de uma rosa, a esperança de uma revolução e um abraço de amigos que lutaram por um ideal.

"Cartas Poéticas" a casa onde os poetas moram, são as páginas de uma herança que não se queria deixar, a oficina de silêncio verde, o chiar melancólico das noras, o drama de ter esgotado todas as lágrimas, a morte dos deuses, a liberdade conquistada, o conjunto de quantas relações nascemos nós, o tronco verde com duas ou três folhas, o sonho que mantém o vigor de afirmar o que a vida nos nega, a irremediável ausência de nós a nós próprios, são os versos de Drummond e Camilo Pessanha... são tanta coisa.

Não é preciso gostar de poesia; somos obrigados a gostar desta poesia.

Todas as cartas contêm em si uma dádiva, enrolada no subscrito da amizade, da tolerância, da cooperação e da solidariedade.

As "Cartas Poéticas" resultam da experiência de dois homens que se deram por inteiro a uma mesma causa. São dois homens que sofreram e cantaram a saudade, a sua saudade: a saudade da injustiça que sofreram.

As "Cartas Poéticas" são a vida de dois operários da escrita; o indicar da estrada que devemos palmilhar, o contemplar de um lagarto ao sol, um gesto de honradez, uma palavra de amigo.

"Cartas Poéticas" a obra que todos nós teríamos gostado de escrever. "Cartas Poéticas" o meu livro de cabeceira. "Cartas Poéticas" o livro que qualquer poeta deve ler todos os dias. Tenho a certeza que, quem o fizer, se torna num homem melhor.

É essa característica que define o escritor. Com os seus livros fazer dos seus leitores homens melhores.

É por isso que António Ramos Rosa e Manuel Madeira são dois bons escritores.

 

 

João Brito Sousa
20080613