António Gedeão  Poesia    RETORNO
Lágrima de Preta Impressão digita
Poesias Completas Lágrima de Preta
Portugália Editora Pedra Filosofa

                                                                                      

Lágrima de Preta

 

Encontrei uma preta
que estava a chorar,
pedi-lhe uma lágrima
para a analisar.


Recolhi a lágrima
Com todo o cuidado
Num tubo de ensaio
Bem esterilizado.


Olhei-a de um lado,
do outro e de frente:
Tinha um ar de gota
Muito transparente.

Mandei vir os ácidos,
As bases e os sais,
As drogas usadas
Em casos que tais.


Ensaiei a frio,
Experimentei ao lume,
De todas as vezes
Deu-me o que é costume:


Nem sinais de negro,
Nem vestígios de ódio.
Água (quase tudo)
E cloreto de sódio.

António Gedeão

 

                                                                               


RETORNO   Início
à Página anterior Acessos  Alertas Apoios Crónicas Desenhos Dicas Esculturas
Fotografia  Fotos  Informática Pintura Poesia Português Quem Somos Sugestões Textos